21.4.05
existem apenas provas de amor
Se existe algo que mais causa bagunça em nosso porão é o tal do amor. Não acredito que outra coisa nos cause tanta alegria ou dor como esse tão desejado fenômeno. Isso mesmo: fenômeno.

Parei para pensar nesse aspecto do amor quando resolvi ouvir com mais atenção a música do Titãs "provas de amor". No começo achei um pouco estranho o refrão que diz: "existem provas de amor/ provas de amor apenas/ provas de amor/ não existe o amor". Confesso que não concordei logo no princípio com essa afirmação, pois, como alguém pode dizer que não existe amor?

Mas é claro que nesse meu mesquinho pensamento estava olhando somente para aquilo que está dentro de mim, para os movimentos que ocorrem em meu interior. Amor não pode ser apenas isso: algo que acontece dentro de mim. E acredito que grande parte das pessoas pensa assim.

Penso que seja a maioria das pessoas, porque quando ouço alguém falar sobre amor é sempre na visão de "desejar ser amado". Nunca ouvi alguém dizer "quero tanto encontrar alguém para amar..." Sempre se deseja um grande amor, uma pessoa que faça de tudo para que nos sintamos bem, que massageie o nosso ego, que nos levante nos momentos difíceis, que nos suporte como somos e que se possível sonhe nossos sonhos. Alguém que negue a si para fazer as nossas vontades e, por mais que negamos, seja nosso escravo.

Amor sempre é visto da ótica da primeira pessoa: alguém que "me ame", que "me faça feliz", que "me entenda", que "me deseje". Mas isso eu não chamo de amor, e sim egoísmo. E egoísmo não permite a existência de amor porque não dá espaço para doação, apenas para recepção.

E o amor está na doação. Amar não é apenas um sentimento interno. Mas também, e principalmente, uma ação externa. Amor somente é amor quando se exterioriza. Daí ser fenômeno - palavra que vem do grego phainomenon que significa "aparência". Por isso não pode ser apenas uma sentimento interno. Porque lá dentro somente nós vemos. E amor não é para nós, mas para os outros.

Aonde está o amor? Está aí, entre eu e você. Não aqui onde não possas ver, e nem aí onde eu não possa tocá-lo. Está nessas palavras em que me abro a você, e no tempo que dedicastes a lê-las para compreender-me.

Não existe amor para quem olha somente para dentro. Mas ele existe no meu esforço para revelar quem sou, doando-me e recebendo-te.

Marcadores: , ,

 
posted by rafael at 23:00 | Permalink |


10 Comments:


At 29 abril, 2005 17:42, Anonymous Véri

passei por aqui pra dar um oi e pra dizer q sempre leio tudo q vc escreve, to esperando o livro!!!! hehehe
bjo, saudades!

 

At 30 abril, 2005 12:06, Blogger Juliana

"Where is the love?" conhece está música? tmb é interessante pra se pensar sobre...mas ainda não compreendo a música dos titãs, o refrão... quando se existe provas não subentende-se comprovação?

 

At 03 maio, 2005 13:13, Anonymous Anônimo

Ola, passei para conferir mais um dos textos sabios que encontro por aqui. Beijinho
http://soltosaovento.zip.net

 

At 14 maio, 2005 02:09, Blogger Toni Melo

Rafa, esse teu texto é bem mais que "mais" um texto bonito sobre amor. É um princípio que se posto em prática irá mudar radicalmente não só o modo como enxergamos o amor como também, a maneira como nos relacionamos com as pessoas que nos cercam.
É bem legal ler isso que você escreveu pois sempre tive uma resistência a enxergar o amor como um sentimento e isso reforça o que já pensava. Em relação a letra do titãs..unhhhh.. assino embaixo!!..rsrs o tal do amor só é real quando é visto... e só é visto quando se dão provas da sua existência... e só se pode prová-lo se relacionando... assim, só ama quem se relaciona... podia te dizer tudo aqui em casa mesmo né?rsrs.. mas o legal é deixar o comentário... abração!!

 

At 16 maio, 2005 20:52, Blogger Maria Estrela do Natal

Querido pica fumo:
rs rs rs
Quanto a mim a palavra amor anda muito batida. Amo A, Te adoro B. Meu amor etc e tal e vai um uso que afinal é amizade. Daí a palavra tá gasta. Eu digo gosto de ti pica fumo é uma coisa. Dizer te amo pica fumo é outra. No 2º caso é mais profundo e se diz de alguém que é mais que um conhecido ou vizinho de rua onde moramos. O amor neste 2º aspecto tem de ser cuidado e sempre se soube que AMAR é dar LIBERDADE e nunca receber. Daí aqueles que sofrem da doença ciúme não amarem mas só verem posse. Amar não é posse e provas de amor são cantiga de bandido para levar menina para a kama 8e vice versa)
Vai ao meu blog:
http://namorandoasestrelas.blogspot.com/
ou a http://www.flogao.com.br/inscience
ou a http://fotolog.terra.com.br/namorodestrelas_nati
ou a http://www.freefotolog.net/Inscience
se me quiseres responder, a todos eles dou apoio

 

At 27 maio, 2005 18:54, Blogger Juliana

Enfim...curti seu cometário colega!

 

At 16 junho, 2005 20:06, Blogger Juliana

ei! a fonte secou é?

 

At 20 junho, 2005 16:17, Anonymous Cris...

E o amor vai sempre nos deixar assim... perdidos num caminho do qual quase sempre sabemos a resposta!!

Gostei daqui...

 

At 07 janeiro, 2008 21:03, Blogger Flavia

Mas amar é dar-se.
Eu sou bem "mãezona", adoro cuidar de gente que anda mal do coração...
Não vou negar que faz uma baita falta as vezes, alguém cuidar de mim. Talvez por isso andei tão interessada naquele amigo...

 


|