20.9.07
levar o mundo a sério
Cada dia mais levo menos o mundo a sério.
Principalmente por não saber quem é mais louco....

Mas faça a si mesmo uma pergunta: por que dizer a verdade? O que nos obriga a isso? E por que devemos considerar a sinceridade uma virtude? Suponhamos que você encontre um louco que afirme que é um peixe e que todos nós somos peixes. Você vai brigar com ele? Vai tirar a roupa diante dele para mostrar que não tem nadadeiras? Vai lhe dizer na cara o que pensa? Vamos, responda!

O irmão calou-se, e Eduardo continuou: - Se você lhe dissesse apenas a verdade, o que realmente pensa dele, isso significa que estaria concordando em ter uma discussão séria com um louco e que você mesmo é louco. Pois bem, é exatamente a mesma coisa com o mundo que nos cerca. Se você teima em lhe dizer a verdade de frente, isso significa que você o leva a sério. No meu caso, veja só, eu tenho que mentir para não levar a sério e para eu mesmo não ficar louco.

Milan Kundera, Eduardo e Deus. In: Risíveis Amores, Nova Fronteira, 1985.

Marcadores:

 
posted by rafael at 12:27 | Permalink |


15 Comments:


At 20 setembro, 2007 13:18, Anonymous Anônimo

Ad

Rafa, gostei do texto, mas prefiro me omitir do que mentir.Detesto mentiras, meias verdades, talvez seja por isso que sou um pouco "misteriosa".Vou começar a ler Kundera, tô começando a achar que é uma boa leitura. Bjo

 

At 20 setembro, 2007 14:08, Blogger Mila

Rafael...
O texto é muito bom e consistente... mas prefiro ainda a verdade...naum a ponto de discutir com o louco claro... hehehe
Beijos Mila

 

At 20 setembro, 2007 14:40, Blogger rafael

Ad
Também não sou chegado a mentiras. E obviamente para enteder a "mentira" que se refere o texto, se faz necessário lê-lo todo. Por isso leia Kundera, pois você não mais irá achar, mas terá certeza de que é uma excelente leitura!
bju
****************
Mila
Eu também prefiro a verdade. Mas somente enquanto não precisamos discutí-la, rsrs
bjos

 

At 20 setembro, 2007 14:51, Anonymous Fabio

Rafael,
Concordo com o pessoal. Omitir até concordo. Mentir, jamais. Falar a verdade? Sim. Mas não é preciso entrar em uma discussão sobre isso. Tu pode falar a verdade, expor teu ponto de vista. Mas não é necessário convencer alguém que tu está certo. Um tem uma opinião e o outro, outra. E é isso. Não precisa discutir por causa disso. Mas não precisa mentir também.

Abração!

 

At 20 setembro, 2007 15:00, Blogger rafael

Fabio
Eu também concordo com relação a verdade, sempre. E não creio que falar a verdade e expor um ponto de vista sejam semelhantes...enfim
abraços

 

At 20 setembro, 2007 15:05, Blogger rafael

ESCLARECIMENTO (rsrs)
Eu não concordo com o Kundera quanto a mentira. Também não irei defendê-lo quanto a isso.

O texto tem (ou teria) a intenção de gerar reflexão sobre o quanto vale a pena a "seriedade" com que tratamos certas coisas.A questão da verdade e da mentira é apenas a superfície do texto

beijos a abraços

(no fim, acabei defendendo o Kundera outra vez!!!)

 

At 20 setembro, 2007 17:05, Anonymous Anônimo

Ad

Queria ler Risíveis A
mores de Kundera,vc pode me emprestar?rsrsrs

 

At 20 setembro, 2007 20:30, Blogger a calma alma má

às vezes acreditamos tanto em algumas mentiras que elas se tornam verdades, ainda que momentâneas..
beijo

 

At 20 setembro, 2007 20:50, Blogger DM

Acho que se a gente levasse não levasse as coisas tão a sério, a vida seria bem mais fácil ... Mas nã oconsigo ser assim .... Aprecio transparência em qualquer tipo de relação ... E ser transparente, equivale por vezes a sofrer, porque muitas verdades incomodam e como ...

KUNDERA é profundo, filosófica, e sempre leva a reflexão, já li quase todos do cara tempos atrás, talvez o Risíveis amores, seja o melhor deles ... Lindo post Rafa, adorei !!!

Beijos

 

At 21 setembro, 2007 00:29, Blogger Sandra Leite

Rafa,

To com o Cazuza..."mentiras sinceras me interessam"

beijo

 

At 21 setembro, 2007 08:10, Blogger Ana Paula

Houve uma época da minha vida que todas as vezs que falei a verdade, fui castigada. Um saco. De enlouquecer. Quase que tive que rever meus valores. Passou...
Mentir e manter a mentira dá mais trabalho. Mas sinceridade demais às vezes dói.
Beijos, Rafa!

 

At 21 setembro, 2007 10:42, Anonymous 1ª lady newton

To com a Sandra Leite e com o Cazuza:

MENTIRAS SINCERAS ME INTERESSAM!

Vc sabe q Kundera as vezes me irrita, né? Mas é amor platônico. E este texto é um dos q mais gosto no Risíveis Amores.

To te devendo meu ensaio né?
Falta tempo, gatchinho!

 

At 21 setembro, 2007 12:03, Blogger rafael

Ad
Se você prometer que devolve até dezembro eu envio pelo correio. Mas com o dinheiro da postagem, dá pra comprar num sebo. É fácil de econtrá-lo.
bjus
************
Alma
Nada mais verdadeiro!
bjin
****************
DM
Você entrou no cerne da questão. Eu tentarei desenvolver mais o assuntnto.
bjok
*************
Sandra
A frase encaixou numa peça que faltava para eu concluir uma idéia!
bjos
***************
Ana
Apanhos de qualquer jeito, mentindo ou falando a verdade. Acho que temos que escolher por aquilo que machuca menos e cicatriza mais rápido.
bjão
***********
Lady
Esse texto é demais. Minha irmã disse a mesma coisa ontem com relação ao Kundera: ele irrita muitas vezes, mas ela o ama inexplicavelmene! rsrs
bjinhos

 

At 21 setembro, 2007 18:20, Blogger Thiane

Levar o mundo menos a sério é sofrer menos com ele, mas sou transparente sim. Ainda acho que rola um lance de energia... Enganar alguém é sempre ruim. Beijos

 

At 21 setembro, 2007 21:58, Anonymous Adão Braga

Depois do louco ser convencido que não era grãos de milho, na reunião, o conselho resolveu libera-lo.

Ele saiu contente, bem como toda a equipe daquela instituição.

Porém, quando apareceu o louquinho viu uma galinha correu e se escondeu. O doutor perguntou:

- O que foi?
- Veja as galinhas!
- Sim estamos vendo e dai? Você não é mais um grão de milho! - Afirmou.
- Eu sei doutor, eu não sou um grão de milho, mas a galinha sabe que não sou? Alguém ensinou pra ela?

 


|