4.11.07
em retalhos para ser despido
A muito tempo venho baixando a guarda.
Tenho aceito certas coisas sobre mim e permitido ser conhecido de outro modo.

Ser um
nos muitos
dos quais
nenhum
apraz

É como se estivesse dizendo: tome a mim e faça o que você quiser.
Sinto como se estivesse entregue e que a partir de agora outros tem total controle sobre mim, como se pudessem manipular-me a bel prazer.

Não sei quem sou
Nem quem serei
Mas sei quem fui
E daquele, eu não gostei

Contudo, tenho descoberto que entregando-me totalmente, dando-me a conhecer, as pessoas não podem fazer nada contra mim. Pois tudo o que elas têm é apenas eu. O que elas podem fazer é jogar eu contra eu mesmo. E meu revide se resume em responder: sim, esse sou eu.

Sou mais um
dos muitos
que é ninguém
por ser todos

Não há defesa. Não há ataque. Há apenas o conhecimento. Há apenas o fato de eu ser e das pessoas saber que não podem fazer nada além de me aceitar ou rejeitar.

O conhecimento vai de encontro, e na vivência vai desvelando, despindo e percebendo que em cada detalhe conhecido, existem muitos outros, infinitos, infindáveis, para serem revelados.


Recordo de Adão no Éden. Ele escondeu a sua nudez de deus após ter pecado. Na cruz, Jesus, que na crença cristã morreu afim de pagar pelo pecado de Adão, teve suas vestes rasgadas: ele ficou nú na cruz! A salvação chegou por meio da nudez de Cristo.

Adão, culpado, esconde sua nudez. Cristo, inocente, entrega-se nú em favor do mundo.

Eis o grande desafio: ficar nú.
Porque na nudez não se esconde nada. E onde não há nada para esconder, também não há nada para provar.

Retorno para ser por ti despido

reflexão nascida de diálogos com a encantadora Sandra e encrementado com retalhos de textos já postados.

Marcadores: ,

 
posted by rafael at 01:20 | Permalink |


9 Comments:


At 04 novembro, 2007 21:56, Blogger Leticia

Eita que volta!
Já voltou me pondo pra pensar...
Posso com certeza te dizer que vc fez falta esse tempo que se afastou , e todos nós tentamos nos entender.
Super normal .
Seja bem vindo de volta!

 

At 05 novembro, 2007 11:25, Blogger Paola a Estranha

Até que enfim fofolete.
Welcome back!

 

At 05 novembro, 2007 14:25, Blogger Sandra Leite

Rafa,

Você é encantador! Me deixa sem palavras e você sabe o quanto eu adoro falar:-)
Esse texto é fruto de sua genialidade, carinho e cuidado. Lembro do dia, um dia difícil pra mim em que você tornou as trevas em sombras e me lmbrou que se estava em sombras é porque ainda havia luz!
Te adoro mil vezes, DOUBLE F!
Que bom ler seus textos de novo.
Sou sua fã (eu e a blogosfera inteira)pra sempre, "daqui até a eternidade".

(suspiro)

beijos

 

At 05 novembro, 2007 21:56, Blogger rafael

Leticia
Obrigado pela recepção. E se consigo te conduzir a reflexão, já me sinto motivado novamente a frequentar esse espaço.
bjus
*************

Ah, nem foi tanto tempo assim, rs. Thank you! =]
bjo
******************
Sandra
Quem ficou sem palavras sou eu....
Não encontro outra a não ser esse simples obrigado....
bjok

 

At 06 novembro, 2007 08:49, Anonymous 1ª lady newton

Férias hein???
Sem explicar nada pra ninguém.

Aposto que vc decidiu frequentar até a Academia! Academicamente falando, claro... (me esborracho de rir toda vez q lembro deste episódio)

Se bem que se colocarmos todos os volumes de Stuttgard empilhadinhos, dá ate pra fazer um supino SARADO!

Bem vindo de volta!

 

At 06 novembro, 2007 14:04, Anonymous Adao Braga

A nudez é típica em muitos casos, os mais conhecidos são:

- Inocencia;
- Safadeza;
- incapacidade;
- Imposição;
- Poder;
- Descobrimento;
- outros...

Se voce não é mais inocente, é porque descobriu que podes ficar nu, sem a vergonha da nudez.

Todos estamos nús... falta descobri isto!

 

At 06 novembro, 2007 20:18, Blogger Ana Paula

Ê!!! O Rafa voltou! Meu lindo, retalhos são tudo de bom... Acredito, desde sempre, que somos como uma colcha de retalhos, que só fica pronta quando a vida acaba...
Ficar nú? difícil pra caramba, hein?

Beijos!

 

At 07 novembro, 2007 10:38, Blogger Cassandra

Que bom que voltou! Suas reflexões são bastante maduras e com prazer vejo as letrinhas do seu blog passando, passando...
Eu odeio alguns "Eus" que exponho, alguns são frágeis demais, outros mesquinhos. Tento muito ser um "Eu" verdadeiro comigo mesma, com o melhor de mim e tolerante com o pior. Mas os outros "Eus" sempre aparessem nos momentos de guarda baixa. Mas acho que a vida é essa tentativa de verdade interior.
Muitos beijos!

 

At 08 novembro, 2007 21:28, Blogger Flavia

A única coisa ruim de se expor tanto é que uma hora ou outra, vão te julgar.
Será vc contra vc? Será sim, mas não do jeito que vc imagina. Não será vc se auto-questionando.
Mas alguém há de usar suas palavras e rasgar tuas não-vestes dizendo: viu, ainda tinhas um retalho a te cobrir!

 


|