7.12.06
é a verdade mais pura, eu não consigo amar
A música a seguir, cantada pelo Titãs, sempre mexeu comigo e não sabia o porque...
Insensível
Até parece loucura, não sei explicar
É a verdade mais pura, eu não consigo amar
Meu bem me desculpe, não quis te ferir
Mas a dizer a verdade é melhor que mentir

Insensível, insensível você diz
Impossível fazer você feliz

As vezes você esquece o que eu finjo esquecer
Mas pra mim é difícil, não consigo enteder
Entre outras pessoas é tão natural
Porque será que comigo não pode ser igual

Insensível, insensível você diz
Impossível fazer você feliz


Não fui eu, não você quem escolheu
Viver nesse mundo tão frio
As vezes você esquece
Que eu finjo esquecer

... até o último mês, e principalmente até o dia de hoje 07/12/2006.

Tenho extrema dificuldade em demonstrar afeto, apesar de ser uma pessoa extremamente sensível. Tenho extrema dificuldade em cultivar amizades, mesmo sendo totalmente dependente delas. Amo as pessoas muito mais do que eu, apesar de viver sempre confinado a mim mesmo.

Em novembro recebi um telefonema de uma grande amiga do passado, que, ao nos separarmos, nunca mais tomei a iniciativa de encontra-lá.

No início de dezembro, um endereço estranho apareceu no meu messenger, e era um grande amigo de quatro anos atrás, que até mantive contato por um tempo, mas após um período de silêncio, não tomei iniciativa de reestabelecer contato. A partir disso, passaram-se três anos.

Hoje, posso ter colocado fim numa amizade de quatro anos. E pelo mesmo motivo anterior: não manifestei meu carinho e amor por ela. E sei que, se a iniciativa não partir dela, será mais uma grande amizade por mim perdida, com certeza uma das melhores que já tive, e que a maior falta irá fazer.

Mas se eu sei disso, porque não reverto a situação? Até parece loucura, não sei explicar. É a verdade mais pura, eu não consigo amar. Quando falo amar é no sentido em que já escrevi aqui e aqui. Mas infelizmente esse amor é apenas palavra sem sentido na minha vida.

Se não tentei mudar? Claro que tentei, e tento a cada vez que vejo história se repetir. Mas pra mim é difícil, não consigo enteder. Entre outras pessoas é tão natural. Porque será que comigo não pode ser igual.

Isso parece uma escapatória mediocre e é o mesmo que dizer "o destino quis assim", ou então "eu nasci assim mesmo". Mas eu sei o quanto sofro e não me conformo em assim ser. E se é culpa do destino d'eu ser assim, então eu odeio esse destino que me torna infeliz.

Contudo, a história se repete sempre. Não fui eu, não você quem escolheu viver nesse mundo tão frio. As vezes você esquece que eu finjo esquecer. E sou grato àqueles que esquecem essa minha amizade apenas discursiva, cheia de palavras sem sentido, pois esse esquecimento por parte de vocês faz com que eu também esqueça por um momento essa minha triste sina.

E sou grato também a vocês, meus sempre amigos, que tentaram me acompanhar, mas muito justamente afastaram-se de mim por cansarem de doar-se e não receber na mesma medida. Não os culpo, muito pelo contrário, louvo-os e tenho-os como exemplo de verdadeiro amor.

Agora estou chorando. Mas acho que não adianta dizer isso aqui, pois mais uma vez não passará de palavras

Marcadores: , ,

 
posted by rafael at 21:44 | Permalink |


3 Comments:


At 15 dezembro, 2006 00:38, Anonymous Mariana

ê piá!
Vc sabe q quem te conhece realmete não te abandona. Pode sumir por um tempo ( e nem é bom viver grudado), mas não abandona. Acredito q isso sim é ser amigo.
Te amo. bjs

 

At 05 janeiro, 2008 15:17, Anonymous 

Oi Rafael Alves, tudo bem?
Eu sofro do mesmo problema que vc, pensei que fosse só eu assim, tive várias amigos importantes que passaram pela minha vida, e não tenho mais contato, não vou atrás, agora mesmo estou prestes a perder uma amizade,não tomo iniciativa para mudar isto, já estou sofrendo, é muito estranho,gosto de verdade das pessoas, mas não tenho o hábito de estar contatando. Interessante é que meu sobrenome é Alves, muitos familiares do meu pai não procuram um pelo outro, acho talvés que esteja nos gens,hereditário.
De qualquer forma, sei que se nos tornarmos amigos, será sincero enquanto dure.
beijo
Marise
mambrosino@prefeitura.sp.gov.br

 

At 07 janeiro, 2008 20:56, Blogger Flavia

Acho que mais importante que estar grudado o tempo todo, é desfrutar dos momentos juntos.
Eu sou uma amiga daquelas bem fofas que mandam bilhetes, emails, presentinhos. Mas isso durante um tempo. Depois, as coisas esfriam, distanciam-se. Mas isso não quer dizer que a amizade acabou.
E diferente do amor, a amizade não muda. Passa o tempo, a distância aumenta, mas o sentimento permanece...

 


|